Editora Gente leva grandes nomes do mercado de Negócios para estande do Skeelo

Editora Gente leva grandes nomes do mercado de Negócios para estande do Skeelo
João Kepler, Joel Jota e Camila Farani marcaram presença no terceiro dia de Skeelo Talks (Foto: Reprodução / Instagram @joaokepler / @joeljota / @camilafarani)

O terceiro dia de Bienal do Livro foi super movimentado! A Editora Gente trouxe para o Skeelo Talks três autores muito importantes e consagrados: João Kepler, Joel Jota e Camila Farani. Durante a tarde, os três bateram papo com a mediadora Izabella Camargo e encheram o estande do Skeelo de conhecimento e conselhos sobre o mercado de negócios.

João Kepler dá dicas de empreendedorismo

João Kepler iniciou o bate-papo com o tema “A importância de empreender ouvindo os conselhos certos e como começar”. O autor é responsável pelos livros “Se vira, moleque” e “Smart Money - a arte de atrair investidores e dinheiro inteligente para seu negócio”. Ambos estão disponíveis para compra no Skeelo Store.

Izabella começou a conversa questionando qual é a principal dificuldade dos empreendedores atualmente. “O empreendedor brasileiro precisa perceber que tem vários passos a cumprir antes de montar um CNPJ”, explica João Kepler, “Você precisa organizar algumas etapas para não ter esse dissabor. É importante ter clareza na ideia e no planejamento”.

João explicou a importância de enxergar e investir naquilo que não é óbvio: “Hoje o empresário de sucesso é aquele que olha para onde todo mundo está olhando e enxerga o que ninguém enxerga, isso é o não-óbvio. É muito difícil criar o conceito, mas quando você cria e consegue sustentar, é possível ganhar dinheiro lá na frente”.

O autor concluiu dizendo que o sucesso é uma medida relativa e que cada pessoa deve ter a sua. “Você não pode simplesmente querer o sucesso alheio. Tenha a sua própria medida e se inspire nos outros. Temos que ter pressa, mas não podemos ser apressados”, finalizou.

Confira o bate-papo completo de João Kepler:

Joel Jota fala sobre sucesso e alta performance

Depois, o autor Joel Jota emocionou muitos espectadores com o assunto “O sucesso é treinável? Tudo sobre os 5 passos para desenvolver alta performance”. Joel é autor dos livros “Esteja, viva, permaneça 100% presente” e “Ultracorajoso”. Ambos estão disponíveis para compra no Skeelo Store.

A pergunta do tema foi feita: afinal de contas, o sucesso é treinável? Joel responde: “É importante refletir sobre o que é sucesso. Acredito que tudo aquilo que a gente treina, a gente melhora, avança, progride, sobretudo o nosso sucesso”.

Joel fala sobre distrações e como não se distrair no mundo em que vivemos, com tantas informações e novidades surgindo diante dos nossos olhos o tempo todo. “Eu defendo a ideia da eficiência. Quando não nos distraímos, colocamos nosso foco no nosso objetivo. Como eu venho do esporte, eu precisei focar minha atenção naquilo que era realmente importante”, conta. O autor também enfatiza a importância da disciplina quando se tem um talento: “São habilidades que nascem conosco, mas precisam de treinamento, de mentores, ferramentas, tempo para amadurecer. É preciso gostar do que faz porque isso te leva a praticar por mais tempo”.

Joel surpreendeu a plateia ao confessar que a atividade mais difícil que já exerceu foi ser escritor. “Eu tenho um carinho especial pelo livro ‘100% Presente’ porque foi difícil conquistar a confiança da editora e escrever de uma forma organizada”, explica. “Eu tive uma síndrome de impostor quando fui escrever porque eu pensava ‘tenho certeza de que todos têm uma história para contar, mas será que vão ler o que eu tenho para contar?’”.

Quando foi questionado sobre como encara seus erros, Joel foi sincero em dizer que aprendeu a reconhecer, a sentir vergonha, a não repetir e a tirar o melhor proveito que pode de um feedback negativo.

Joel também falou sobre as comparações: Se eu me comparar com alguém que está no topo do mundo, não há avanço. Se eu me comparar comigo, se eu fiz mais hoje do que ontem, eu avanço, é isso que motiva”, diz. “A gente tem que ter intenção com atenção: não estamos no jogo do esforço. Somos valorizados pelos nossos resultados”.

Confira a entrevista completa com Joel Jota:

Camila Farani fala sobre o livro "Desistir não é opção"

Para finalizar a rodada de autores da Editora Gente, a convidada Camila Farani falou sobre o seu livro “Desistir não é opção”. O título está disponível no aplicativo do Skeelo e também é possível adquiri-lo no Skeelo Store.

Camila falou muito sobre seu processo de autoconhecimento e como isso a ajudou. “Ao invés de ficar focando nas nossas fraquezas, precisamos focar nos nossos pontos fortes. Eu descobri que os meus são comunicação e persuasão”, conta.

Izabella lembrou que o livro foi escrito durante a pandemia de Covid-19 e perguntou como foi essa experiência. “Nós tínhamos um mundo físico, negócios físicos. E de repente, tudo virou de cabeça para baixo. Muitas pessoas começaram a me mandar mensagens porque estavam em desespero com seus negócios colapsando durante a pandemia e começavam a pedir socorro, porque estavam pensando em suicídio”, conta Camila. “Naquele momento, eu só tinha a minha rede social para ajudar. Então eu decidi criar o movimento Desistir Não É Opção e nós conseguimos impactar muitas pessoas. Até que um dia a Editora Gente decidiu falar sobre isso e eu aceitei o convite, desde que o livro não foque só na minha vida, apenas tenha alguns pontos e direcione maior atenção para o movimento”.

Boa parte do público de Camila é feminino, então ela foi questionada se as dores das mulheres empreendedoras são diferentes das dores dos homens. “Não são diferentes, acredito que ela se complementam. As mulheres costumam apresentar mais sinais de Síndrome de Impostora, geralmente elas acham que não são merecedoras de estar ali. Mas isso está mudando porque existe uma sensibilidade e a sensibilidade é um fator positivo”, responde a autora.

Para encerrar, Camila falou sobre o quanto a comparação impede a autenticidade e como as redes sociais colaboram para que isso aconteça. “A comparação só nos leva para baixo. Eu não conheço um grande líder que não olhe para outro e não reconheça a vitória. A vida de uma pessoa não pode servir para derrubar a sua. Hoje em dia, a gente posta para quem? Não é para nós, é para mostrar para quem a gente não gosta. Isso é o caminho do erro. Não sejam essas pessoas. As redes sociais têm que ser estratégicas. O mais importante é acordar e ter o seu pé no chão”, concluiu.

Confira o bate-papo completo com Camila Farani: