Luto: confira 6 livros que abordam o tema

Luto: confira 6 livros que abordam o tema
Confira 6 livros que abordam o luto

No Brasil, o Dia de Finados (02/11) é um feriado do calendário da Igreja Católica dedicado à saudade, à homenagem aos falecidos e à celebração da memória dos que se foram, com visitas aos cemitérios.

A origem do feriado é datada por volta de 1030, quando foi instaurada na França pelo abade Odilon de Cluny para que as pessoas se apiedassem das almas no purgatório. No cristianismo primitivo já havia o costume de rezar pelos mártires em suas catacumbas em Roma, e aos poucos foi sendo introduzido como ritual da Igreja Católica.

A celebração em outras culturas — Día de Los Muertos

Essa homenagem e celebração aos que já se foram é elaborada por diversas culturas e religiões de diferentes formas. Uma das mais conhecidas é a celebração mexicana do Dìa de Los Muertos, uma antiga tradição indígena que, com a colonização, misturou-se com a religião dos espanhóis. Atualmente, é celebrado no dia 2 de novembro, com altares, muita música, cores vivas, flores, danças e até desfiles para dar as boas-vindas aos mortos que acreditam visitar os entes nessa data. A tradição é tão importante para a cultura mexicana que foi reconhecida pela Unesco em 2008 como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade e, em 2018, retratada na animação Viva — A vida é uma festa, ganhadora do Oscar na categoria de Melhor Filme de Animação.

Os livros são uma forma interessante de abordar a partida de entes queridos, portanto o Skeelo fez uma seleção muito especial de e-books sobre o tema. Confira:

O peso do pássaro morto, de Aline Bei | Nós

Sinopse: A vida de uma mulher, dos 8 aos 52, desde as singelezas cotidianas até as tragédias que persistem, uma geração após a outra. Um livro denso e leve, violento e poético. É assim O peso do pássaro morto, romance de estreia de Aline Bei, onde acompanhamos uma mulher que, com todas as forças, tenta não coincidir apenas com a dor de que é feita.

Antes que o café esfrie, de Toshikazu Kawaguchi | Valentina

Sinopse: Quem você gostaria de encontrar, uma única e última vez, se fosse possível viajar no tempo? Em uma ruazinha estreita e silenciosa de Tóquio, num subsolo, existe um estabelecimento que, há mais de 100 anos, serve um café cuidadosamente preparado. Graças a uma lenda urbana, o local recebe diversos frequentadores que esperam ansiosamente para viver uma experiência única: fazer uma viagem no tempo. Aqueles que retornam ao passado devem estar cientes dos riscos e também das regras, já que a jornada exige que o cliente se sente numa cadeira específica e reencontre somente pessoas que já tenham visitado o estabelecimento. Mesmo assim, quatro personagens aproveitam a oportunidade para tentar resolver dramas do passado. A experiência é imperdível, mas o tempo é curto. Mais precisamente, até o café esfriar.

Você ligou para o Sam, de Dustin Thao | Alt

Sinopse: Um romance emocionante para quem gostou de A cinco passos de você e Todo esse tempo O que você faria se tivesse uma segunda chance de dizer adeus? A jovem de dezessete anos Julie Clarke tinha toda a sua vida planejada ao lado do namorado, Sam. Mas ele morre em um acidente de carro e tudo perde o sentido. Devastada pela dor, ela começa a se livrar de todas as coisas dele e enterrar as memórias que dividiam. Mas Julie decide que precisa ouvir a voz do namorado pela última vez, nem que seja a mensagem gravada da caixa postal. Por isso, Julie liga para ele. E Sam atende. A conexão é temporária, mas ouvir a voz de Sam faz com que Julie se apaixone por ele novamente — e a cada chamada fica mais difícil deixá-lo ir. No entanto, manter as ligações sobrenaturais com Sam em segredo não é fácil, especialmente quando Julie testemunha o sofrimento da família dele. Só que Julie também sabe que contar a verdade seria arriscar a conexão e perdê-lo para sempre.

A desumanização, de Valter Hugo Mãe | Globo

Sinopse: Na paisagem gélida da Islândia, a menina Halla, de apenas onze anos de idade, busca compreender os sentimentos que surgem com o falecimento de sua irmã Sigridur. Vivendo a divisão permanente das “crianças espelhos”, Halla nos guia por impressões de transitoriedade e perda a partir do seu ponto de vista infantil e, por isso mesmo, cheio de uma simplicidade profundamente poética. O sofrimento do luto, a solidão e a violenta frieza da mãe se misturam com a paisagem inóspita da Terra do Gelo e, somados à narração lírica e melancólica de Valter Hugo Mãe, em que o desamparo dos personagens é superado por uma compreensão sublime e bela de sua condição, transformam esta obra em um primor da literatura contemporânea.

Precisamos falar sobre a morte: Histórias e reflexões sobre a arte de viver e morrer, de Kathryn Mannix | Sextante

Sinopse: Neste livro único e transformador, Kathryn Mannix, médica pioneira em cuidados paliativos, mostra o poder terapêutico de abordar a morte não com ansiedade, mas com abertura, clareza e compreensão.

Notas sobre o luto, de Chimamanda Ngozi Adichie | Companhia das Letras

Sinopse: Escrito por uma das maiores vozes da literatura contemporânea, esse livro é um relato não apenas sobre a morte de um pai amado, mas também sobre a memória e a esperança que permanecem com aqueles que ficam. Escrito após a morte do pai de Chimamanda Ngozi Adichie em junho de 2020, durante a pandemia de covid-19 que mantinha distante a família Adichie, Notas sobre o luto é um poderoso relato sobre a imensurável dor da perda e as lembranças e resiliência trazidas por ela. Consciente de ser uma entre milhões de pessoas sofrendo naquele momento, a autora se debruça não só sobre as dimensões familiares e culturais do luto, mas também sobre a solidão e a raiva inerentes a ele. Com uma linguagem precisa e detalhes devastadores em cada capítulo, Chimamanda junta a própria experiência com a morte de seu pai às lembranças da vida de um homem forte e honrado, sobrevivente da Guerra de Biafra, professor de longa carreira, marido leal e pai exemplar. Em poucas páginas, Notas sobre o luto é um livro imprescindível, que nos conecta com o mundo atual e investiga uma das experiências mais universais do ser humano. "Era tão próxima do meu pai que sabia sem querer saber, sem saber inteiramente o que sabia. Uma coisa dessas, temida durante tanto tempo, finalmente chega, e na avalanche de emoções vem também um alívio amargo e insuportável. Esse alívio se torna uma forma de agressão, e traz consigo pensamentos estranhamente insistentes. Inimigos, atenção: o pior aconteceu. Meu pai se foi. Minha loucura agora vai se revelar."